Acasalamento

CUIDADO!
Antes de cruzar seu cão, procure combinar com o dono do outro cão como será a divisão dos filhotes e pegue dados dele com os quais você possa encontrá-lo, para que não haja problemas mais tarde, como certos donos de fêmeas que simplesmente desaparecem depois da cruza.

O CIO

COMO IDENTIFICAR: As cadelas entram no cio pela 1ª vez com a idade de 6 a 12 meses. Nos cães de porte pequeno, o cio ocorre geralmente aos 6 ou 7 meses. Já nos maiores, entre 8 e 12 meses, podendo chegar até 1 ano e meio (18 meses). Não é recomendo que se cruze a cadela nem no primeiro nem no segundo cio. Só no terceiro, quando ela já estará madura para isso. A evidência mais comum é o sangramento. Além dele, a vulva da cadela fica inchada, e ela passa a urinar mais vezes. Os machos começam a se sentirem atraídos pela fêmea quando ela está no cio.O intervalo entre os cios é geralmente de 6 meses, podendo variar de 4, como nos Rottweilers, a até 12 meses, como no Basenji e sua duração é em média  de 15 dias, sendo os 9 primeiros o pró-estro, quando há o sangramento; e os outros 6 ou 7 são o verdadeiro cio, a fase do estro, quando a cadela está fértil, pois é quando ela ovula. Nesse período, a cruza deve ser feita. É claro que esses intervalos sempre variam de cão para cão, mas essa é a média.

EXAME DE CITOLOGIA VAGINAL: Algumas cadelas têm cio seco ou silencioso, os seja, não demonstram os sinais característicos ao entrarem no cio (sangramento, corrimento ou secreção). Assim, é difícil saber qual foi seu 1º dia, e, automaticamente, quando serão seus dias férteis. Outras têm problema para engravidar, pois não conseguem cruzar no seu real dia fértil. Para essas cadelas existe um exame específico: citologia vaginal. Esse exame deve ser feito logo quando a cadela entra no cio, e a partir da análise citológica do material colhido pelo veterinário, é detectado exatamente o dia da ovulação, determinando-se o dia ideal para o acasalamento. Se a cadela cruza nesse dia, cerca de 70% de seus problemas para engravidar são eliminados.

CATARATA

Veja aqui algumas dicas para o acasalamento:

Vermifugação: A vermifugação na fêmea antes da cruza e 10 dias antes do parto é indicada.

Quem deve ir até o parceiro?
Essa é uma questão que todos gostam de dar seu palpite, dando as prováveis razões e as hipóteses possíveis. Mas essa é a jogada: a fêmea deve ir até a casa do macho. Por que? Porque o macho, em seu território, se sente mais à vontade, e não fica inferiorizado ou submisso.

Freqüência e número de cruzas:
O ideal é que sejam feitas cruzas em 3 dias, sendo um dia sim, um dia não, ou seja, a cada 48 horas. Pode ser feita apenas uma cruza em cada um desses três dias, pois a renovação total do sêmen demora 48 horas. Complicado? Veja esse exemplo: Você leva a cadela para cruzar na 6ª feira, no Domingo e na 3ª feira, sendo uma cruza em cada um desses dias suficiente, se o macho tiver boa qualidade seminal. Os cruzamentos são feitos do 9º ao 14º dia, a cada 48 horas

A presença do dono:
Alguns cães gostam da privacidade. Já outros se sentem mais seguros na presença do dono. Isso depende de cada um. Se você for deixar os dois sozinhos, dê sempre uma espiada para ver o que está acontecendo, e para ver se eles estão precisando de sua ajuda.

Se a fêmea não aceitar o macho:
Ela pode não aceitá-lo ou porque não está no período fértil ou porque não gostou dele. Mesmo assim, se você ainda quiser que ela cruze com um certo macho, você pode complicar as coisas: pode fazer uma inseminação artificial , que não fará mal a nenhum dos dois. Para a inseminação artificial, o macho é masturbado, e seu sêmem é coletado. Depois, o sêmem é colocado em uma seringa e injetado na vulva da cadela, que tem sua traseira levantada, para que o sêmem chegue mais longe. Isso porque a seringa não libera o sêmem com a mesma força que o macho. O preço médio da inseminação artificial é R$ 60,00.

OUTROS PROBLEMAS

O macho, por inexperiência, pode introduzir o pênis no lugar errado, causando dores na fêmea. Com isso, a fêmea pode não querer mais aceitá-lo;

Eles podem tentar, tentar, não conseguir nada e ficar cansados. Isso acontece mais com os cães de grande porte, que são muito pesados;

O macho pode ejacular fora, de tanta excitação, e perder o estímulo, querendo cruzar apenas no dia seguinte, que pode não ser mais o dia fértil da fêmea;

O macho e a fêmea podem não gostar um do outro, e assim, não acontece nada.


SINAIS DE GRAVIDEZ

Aqui estão algumas mudanças na sua cachorrinha que identificam sua gravidez:

Mudança de comportamento: Algumas cadelas ficam mais agressivas com outros animais. Até aquela cachorrinha mais meiga pode ficar brava. Já outras ficam mais dengosas, seguindo as pessoas de sua "matilha", pedindo colo, etc;

Sono: Longos períodos de sono são também um sintoma da gravidez, assim como nas mulheres;

Apetite: Como a cadela está desenvolvendo muitos embriões, seu apetite tende a aumentar;

Vômitos: Não acontece em todas as cadelas, mas algumas ficam enjoadas e sem comer, e podem até apresentar vômitos na quarta ou quinta semana, devido à distensão do útero;

Aumento dos mamilos: Eles crescem e geralmente ficam mais escuros. Porém, o leite só surge nos últimos dias de gravidez. As mamães de primeira viagem normalmente só produzem o leite horas antes do parto;

Crescimento da barriga: É a mudança mais óbvia. Em torno da quarta/quinta semana, já pode ser observado o aumento da barriga;

Corrimento na vulva: Um corrimento claro e viscoso na vulva a partir do segundo mês de gestação é normal. Mas se esse corrimento escurecer, fale com seu veterinário.

 Fonte: Jornal Primeira Pata

CUIDADOS COM A FUTURA MAMÃE

Depois que a cadela  engravidou, alguns cuidados devem ser tomados, para que haja mais segurança e conforto no nascimento dos filhotes. É uma época de muita expectativa e alegria.

Saúde: Para que a cadela de à luz filhotes saudáveis, é importante cuidar de sua saúde antes e durante a gestação. Leve-a ao veterinário, para que sejam feitos exames, como o pré-natal e o de fezes; antes da cruza, dê a ela a dosagem certa de vermífugo e para colocar as vacinas em dia. Com isso, a cadela dará aos filhotes anticorpos contra as principais viroses. Além disso, devido à vermifugação da mãe, os filhos nascerão protegidos de vermes. Porém, as vacinas aplicadas na cadela durante a gestação não poderão ajudar os filhotes. A vermifugação na mãe 10 dias antes do parto é aconselhável.

Exercícios: Seus esforços devem ser diminuídos a partir do 20º dia de gravidez, aproximadamente. Mesmo depois dessa idade, ainda podem ser feitos exercícios leves, mas é bom evitá-los. Exercícios pesados como grandes caminhadas? Nem pensar! 

Alimentação: Deve ser mais balanceada e rica em proteínas e aminoácidos, e servida mais vezes ao dia após o primeiro mês, quando seu apetite aumenta. As rações de filhotes são as mais indicadas, pois são bastante ricas. Nunca dê alimentação rica em cálcio para a cadela na gestação, pois ele faz com que os filhotes crescam muito, dificultando sua saída na hora do parto.

Ultrasonografia: Já é possível acompanhar o desenvolvimento dos fetos pela ultrasonografia. Sua função é, além de matar a curiosidade dos donos mostrando quantos filhos serão (muitas vezes ele subestima o número de filhotes da ninhada), é verificar a vivacidade dos fetos pelo seu movimento e seus batimentos cardíacos (que chegam a mais de 200 bpm), e detectar más formações congênitas. Se for detectado algum feto morto, o parto é antecipado, fazendo-se uma cesariana na cadela, para que os outros filhotes se salvem. O exame é feito com 30 dias de gravidez, em média. Para a confirmação exata do número de filhotes, pode ser tirada uma radiografia uma semana antes do parto. A radiografia, como consegue abranger toda a região do útero, indica exatamente o número de filhotes, ao contrário do ultrasom, que vê por partes, podendo esquecer de contar um filhote. Entretanto, a radiografia não pode ver os batimentos cardíacos e movimentos dos fetos. O preço da ultrasonografia é em média R$ 50,00.

Apalpação: É feita com uns 45 dias de gravidez. Só em colocar a mão sobre a barriga da cadela já é possível sentir os movimentos e "chutes" dos filhotinhos, assim como nos seres humanos.

Às vésperas do parto: As glândulas mamárias da cadela têm seu tamanho aumentado uma semana antes do parto. O leite começa a ser produzido dias antes do parto, e nas mamães de primeira viagem,  apenas horas antes do parto. Um dia antes de dar à luz, ela solta o tampão, que é uma espécie de rolha, parecida com um pus, que separa o útero e a vagina. Nas vésperas do parto, ela fica amuada, quase não bebe nem come. Fica também à procura de um "ninho" para se ajeitar. Em torno de 6/7 horas antes do parto, começam as contrações, nas quais a cadela faz uma posição de fazer xixi, mas a urina não sai. O fato dela ficar ofegante pode indicar que o parto está próximo. Quando vai chegando a hora, sua temperatura corporal também abaixa. O ideal é que você arrume uma caixa, como de madeira ou papelão que tenha bordas altas, para que os filhotes não se distanciem. Essa caixa pode ter panos ou jornais, e deve ser limpa e quentinha. O jornal ou pano precisará ser trocado, pois ficará todo lambuzado. A caixa deve ser preparada antes da cadela parir, para que ela já faça o parto no lugar certo.

O nascimento: O parto causa ansiedade, principalmente nos donos de primeira viagem, mas isso não tem muitos motivos. Os cães grandes raramente têm problemas durante o parto; já os pequenos têm mais chances de enfrentar esses problemas. A maior parte das cadelas faz o parto naturalmente, mas é aconselhável a supervisão humana mesmo assim. Tenha bom senso: não chame sua vizinhança toda para ver o parto, mas também não deixe a pobre coitada abandonada. O ambiente deve ser tranqüilo, mas deve ter alguém para supervisionar. Algumas cadelas se sentem incomodadas com a presença humana. No caso delas, é melhor dar uma disfarçada.

É normal que a cadela corte e coma o cordão umbilical, coma as placentas, lamba os filhotes para limpá-los e até coma os que nascerem mortos, não se assuste! Geralmente, cães pequenos têm de 3 a 6 filhotes, e os grandes, de 7 a 11. Esse número pode ter muitas variações, dependendo de vários fatores. A duração do parto é, em média, de 2 a 5 horas, podendo se estender a até 8 horas. O intervalo máximo entre cada filhote pode ser de 2 horas, embora o normal é que ele seja menor que isso. Se passar disso, procure seu veterinário, pois pode estar acontecendo algum problema. Se ela liberar um líquido verde escuro, é mau sinal, e leve-a ao veterinário. É bom também examinar a mãe e os filhotes após o nascimento, para verificar se está tudo OK. A partir daí, pode deixar tudo por conta do instinto da fêmea. Não hesite em falar com seu veterinário caso julgue necessário. A cadela fica no ninho o dia inteiro, só sai para urinar, defecar, comer e beber. Aos poucos, ela vai saindo mais vezes e por mais tempo. Elas devem ficar agressivas com estranhos, e algumas vezes, até com o próprio dono. A alimentação delas na lactação deve ser bem reforçada, usando-se rações de filhotes. É normal que as mamães fiquem bem acabadas, com quedas de pelo e emagrecimento, mas isso logo é recuperado.  Não se assuste se sua amiga ficar com um temperamento diferente na fase da lactação, ignorando ou até estranhando outros cães, porque depois, ela volta a ser uma criança.

Bibliografia: - Site da Revista Focinhos

Adicionar a favoritosImprimirTopo da página